Resenhas de Mistério: A Vida Secreta dos Escritores, de Guillaume Musso


O livro do mês de outubro da TAG Inéditos é do autor francês Guillaume Musso e traz um mistério literário. Ou seja, um mistério relacionado a literatura.


Nathan Fawles é um autor consagrado e no auge da carreira quando, por razões que escolhe não divulgar, decide - vinte anos antes do livro começar - parar de escrever para sempre e viver uma vida isolada na pacata ilha Beaumont. Raphaël Bataille é um jovem escritor tentando publicar seu primeiro livro, fã de Fawles, ele quer mais do que tudo desvendar o mistério por trás de seu sumiço.


No início, o livro parece ser sobre escritores e o que levaria a um autor a parar de escrever sem nenhum motivo aparente, ainda jovem e com livros de sucesso. Nathan e Raphaël falam sobre livros, literatura e a carreira de escritor, e é uma reflexão interessante, porém bem basal. O livro começa a esquentar mesmo quando aparece um corpo em Beaumont. Uma cidade praticamente sem crime nenhum e, de repente, um assassinato.


E mais, a entrada de uma jornalista misteriosa, Mathilde Monney indo até Nathan e fazendo perguntas. O que uma coisa tem a ver com a outra? Seria esse assassinato de agora relacionado ao passado misterioso de Fawles? E o que Mathilde Monney e Raphaël Bataille têm a ver com essa história?


Eu comecei o livro com receio, porque já havia lido um livro desse autor e não gostado muito e, ainda por cima, tenho um preconceito saudável de franceses. Talvez por isso eu tenha gostado tanto do livro, porque ele realmente superou minhas expectativas. Para começar, eu não sabia inicialmente que teria um assassinato e a metatextualidade dos personagens ficarem falando sobre escrita só consegue ser interessante por poucas páginas, então a surpresa de ser um livro de assassinato foi muito bem vinda.


Eu gostei como os enredos se juntaram e as revelações foram feitas sempre com um tempo ótimo, servindo para deixar o leitor curioso e me fazendo querer ler o próximo capítulo sempre. O autor não tem medo de ousar com o enredo e inverter expectativas, o que trouxe um livro dinâmico e com bastante reviravoltas. O livro é bem curtinho, o que serviu a seu favor, porque a história não é tão longa e não teve muita enrolação.


Dito isso, o livro não é perfeito. Nathan não é um personagem carismático, não cativa os leitores e não faz com que, em momento algum, eu me importasse com ele. Raphaël é um personagem bobinho, ele tem sua utilidade na história, mas acho que ele poderia ser utilizado muito melhor. Fiquei esperando que ele tivesse um final melhor, alguma revelação em torno dele, mas nada aconteceu.


As revelações funcionam como um “choque”, mas também não são totalmente inovadoras. Nada que nunca tenha sido visto na literatura antes, com certeza. Senti falta do aprofundamento de algumas questões, de explorarem consequência. Foi um pouco choque pelo choque, sabe? Sem terem construído um caminho que tornasse a revelação satisfatória.


Ainda assim, considerei uma leitura interessante e fiquei feliz com o resultado. Me surpreendeu positivamente.


Nota: ★ ★ ★ ★ ☆


Posts recentes

Ver tudo